quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Novos Tire jongs na BWCA - Central e Núcleo Recife

O sistema Wing Chun é conhecido por ser um sistema curto, tendo apenas seis fases ( ou níveis, ou domínios vivenciais, ou estágios...) de aprendizado para seu domínio técnico. Também é bastante conhecido que este sistema, usa de aparelhos de treinamento com diferentes finalidades práticas, cujo alguns mestres chamam de ''aparelhos tradicionais''.

The Wing Chun system is known to be a short system, having only six phases (or levels, or experiential domains, or stages ...) of learning for its technical domain. It is also well known that this system uses training apparatus with different practical purposes, which some masters call "traditional devices".

Não á toa, o mais conhecido deles é o Muk Yan Jong ( Pilar do homem de madeira) -  famoso em parte por conta dos filmes de Bruce Lee (Nota: Mesmo não aparecendo em nenhum de seus filmes) e extremamente mal usado por praticantes médios que por um motivo ou outro, não possuem uma visão mais aprofundada sobre o uso e mesmo sobre a confecção deste aparelho. Este aparelho assemelha-se á um homem com os braços estendidos e uma ''perna'' á frente e recebe , por sua descrição, o apelido de ''Homem de madeira'', ''Boneco de madeira'' ou ''Wooden man''.

Not surprisingly, the best known of them is Muk Yan Jong (famously partly because of Bruce Lee's films) (Note: Not appearing in any of his films) and extremely poorly used by average practitioners which for one reason or another do not have a more in-depth view on the use and even the making of this device. This device resembles a man with outstretched arms and a "leg" ahead and receives, by his description, the nickname of "Wooden man", "Wooden doll" or "Wooden" man ''.

Também é conhecido o aparelho denominado Gerk Jong. Este, talvez um pouco menos conhecido que o Muk Yan Jong, mas que é visto tradicionalmente na mesma fase de aprendizado do sistema Wing Chun. Este aparelho constitui-se de postes fincados no solo em uma disposição triangular tem por finalidade desenvolver footwork e os chutes do sistema, vistos ao longo dos anos de prática.

Also known is the apparatus called Gerk Jong. This one, perhaps a little less known than the Muk Yan Jong, but which is traditionally seen in the same learning phase of the Wing Chun system. This apparatus consists of poles pitched in the ground in a triangular arrangement is intended to develop footwork and kicks the system, seen over the years of practice.

Todos esses aparelhos ainda sim, visam dar um 'refino' á técnica do praticante que já saiu de sua fase ''intermediária'' para a avançada. Não trazem em sí nenhum tipo de conhecimento novo, mas ''abre'' a mente do praticante para que ele entenda como refinar sua movimentação e como pode, mesclar partes de sua forma e criar combinações para seu repertório de combate. Claro, estou resumindo tudo aqui em pouquíssimas palavras e de forma bastante superficial. Mas existe ainda um aparelho, bem menos conhecido e que segundo Si Fu me contou, sua construção é atribuída a Yip Man e este, também é um aparelho que visa desenvolver atributos técnicos do praticante de Wing Chun; O Tire Jong.

All these devices still aim to give a 'refining' technique to the practitioner who has gone from his 'intermediate' phase to advanced. They do not bring any new knowledge to themselves, but it '' opens '' the practitioner's mind so that he understands how to refine his movement and how he can, merge parts of his form and create combinations for his combat repertoire. Of course, I am summarizing everything here in very few words and in a rather superficial way. But there is still a device, much less known and that according to Si Fu told me, its construction is attributed to Yip Man and this, is also a device that aims to develop technical attributes of the practitioner of Wing Chun; Tire Jong.

(O novo Tire Jong instalado e pronto para uso na SEDE da Brazilian Wing Chun Academy, este, está adaptado às necessidades específicas de SiFu)
(The new Tire Jong installed and ready for use at the SEDE of Brazilian Wing Chun Academy, this one, is adapted to the specific needs of SiFu)


Quando recebi a foto acima,há uns dois dias atrás, mais ou menos,  fiquei bastante feliz em saber que um Tire Jong mais novo acabara de ser instalado nas dependências da Brazilian Wing Chun Academy, num esforço mútuo de SiFu e de meus irmãos de Kung Fu. Era neste cantinho, onde está instalado o Muk Yan Jong e agora o Tire Jong em que eu dormia quando em estada na escola para meu treinamento regular e quando retornei em setembro passado, vi o tanto que a escola Sede mudou desde a ultima estadia mais longa na cidade....

When I received the photo above a couple of days ago or so, I was quite happy to know that a younger Tire Jong had just been installed on the premises of the Brazilian Wing Chun Academy in a mutual effort of SiFu and my Kung brothers Fu. It was in this corner where Muk Yan Jong is installed and now the Tire Jong I slept in while in school for my regular training and when I returned last September I saw how much Headquarters has changed since the last longer stay in the city....


O Tire Jong é um aparelho que visa auxiliar o praticante de Wing Chun a desenvolver uma movimentação mais ofensiva. Com três metades de pneus dispostos em três alturas (baixo, médio e alto) e presos á uma estrutura firme, esta configuração mais ''completa'' de Tire Jong permite que o praticante treine combinações de ataques, desenvolva energias de chutes, socos, cotoveladas e joelhadas, além de footwork, exchanging legs e de movimentação angular combinadas com ataques dos mais variados. Como percebe-se, não tem a mesma função que um simples saco de pancadas, haja vista que a resistência ao ''afundar'' um golpe numa das superfícies do pneu é diferente além da função técnica com o uso de princípios inerentes ao sistema. Ainda sim, no treino, é sempre recomendado o uso de luvas.

The Tire Jong is a device that aims to assist the Wing Chun practitioner to develop a more offensive movement. With three tire halves arranged in three heights (low, medium and high) and tied to a firm structure, this more complete 'Tire Jong' configuration allows the practitioner to train combinations of attacks, develop kicks, punches, elbows and knees, as well as footwork, shifting legs and angular movement combined with attacks from the most varied. As is perceived, it does not have the same function as a simple punching bag, since the resistance to "sinking" a stroke on one of the surfaces of the tire is different than the technical function with the use of principles inherent to the system. Even in training, it is always recommended to wear gloves.

(Simple Tire jong; Durante treino regular na Brazilian Wing Chun academy - núcleo Recife)
(Simple Tire jong; During regular training at Brazilian Wing Chun Academy - Recife Team)


Existe um outro tipo de variação deste aparelho. Na foto acima, demonstro ''Chaang Gurk'' no ''Single'' Tire Jong. Este aparelho tem por finalidade específica desenvolver os chutes do sistema Wing Chun numa disposição mais baixa. Este Tire Jong é composto de uma estrutura de madeira em duas colunas triangulares e uma ''prancha'', que no caso de uma disposição mais longa, serve para que uma pessoa possa ficar em cima dela para que o Tire jong não ''corra'' deslizando pelo chão com seus golpes ou não ''suba'' , batendo frequentemente contra o solo. Este tire Jong simples foi construído por meu aluno Eduardo Ferrer,que também confecciona Bonecos de madeira.

There is another type of variation of this device. In the picture above, show '' Chaang Gurk '' in the '' Single '' Tire Jong. This device has the specific purpose of developing kicks of the Wing Chun system in a lower arrangement. This Tire Jong is composed of a wooden structure in two triangular columns and a 'board', which in the case of a longer layout, serves so that a person can stay on top of it so that the Tire jong does not 'run '' sliding on the ground with their blows or not '' going up '', often hitting the ground. This simple Jong tire was built by my student Eduardo Ferrer, who also makes wooden men.

Um dado interessante sobre este Simple Tire Jong é que o Eduardo forrou a ''prancha'' na sua parte de baixo com um forro emborrachado, o que não permite que  o aparelho deslize, criando mais atrito com o solo. O pneu que estamos usando é dos mais duros, o que torna difícil , mesmo para alguém forte, afundar o pneu, sem fazer o uso correto da geratriz de força para sua movimentação.

An interesting piece of information about this Simple Tire Jong is that Eduardo wrapped the "plank" on the underside with a rubber lining, which does not allow the device to slide, creating more friction with the ground. The tire we are using is the hardest, which makes it difficult, even for someone strong, to sink the tire, without making the correct use of the force generator for its movement.

Para aqueles que quiserem conferir este aparelho e fazer uma visita á escola central da Brazilian Wing Chun academy, ela está situada na Rua Alagoinhas, nº 188, no bairro do Rio Vermelho, Salvador, Bahia, bem próximo á casa do Rio vermelho, do escritor Jorge Amado.

For those who want to check out this device and pay a visit to the Brazilian Wing Chun academy's central school, it is located at 188 Alagoinhas Street, in the Rio Vermelho neighborhood, Salvador, Bahia, near the home of the Rio Vermelho, the writer Jorge Amado.

Até a próxima
See you later

   Dido
   Discípulo particular do SiFu Marcos de Abreu
   Brazilian Wing Chun Academy

Dido
Private disciple of SiFu Marcos de Abreu
Brazilian Wing Chun Academy

quinta-feira, 11 de julho de 2019

Matéria sobre a Morte de Bruce Lee

A matéria a seguir é uma postagem do site Bruce Lee In focus, onde o autor trás a luz algumas informações pouco conhecidas do público sobre a morte de Bruce Lee.

Espero que gostem;


O MISTÉRIO NAS MORTES DE BRANDON & BRUCE LEE

Coincidências macabras na vida e na ficção podem ocorrer e assim foi com Bruce Lee, morto em 20 de julho de 1973, aos 32 anos, vítima de edema cerebral ou inchaço do cérebro devido a uma reação alérgica ao componentes do comprimido de Equagesic que tomou no apartamento da atriz chinesa Betty Ting-Pei que, soube-se mais tarde, era membro da máfia chinesa Triad e teria se casado com um dos chefões mafiosos (Charles Heung) com quem, inclusive, teve um filho (dizem, para se manter viva), algum tempo depois da misteriosa morte de Lee.  

Bruce Lee e Betty Ting Pei, um relacionamento amoroso que se tornou mortal?
Betty teria se separado de Heung anos depois e se tornado monja budista. Alguns afirmaram que por saber demais, Betty continuava em risco de morte, tornando-se monja ela assegurou a sua vida, pois mafiosos asiáticos, por superstição, não assassinam religiosos budistas. Algumas fontes sugeriram que Bruce Lee teria sofrido um possível envenenamento por arsênico no estilo antigo das máfias chinesas sem deixar vestígios para posteriores investigações e Betty Ting Pei teria sido usada como isca, estreitando seu relacionamento íntimo com Bruce ao usar seu charme sedutor e inteligência para finalmente atraí-lo para a morte, se assim fosse decidido pela Triad. 

Charles Heung, ex-ator e hoje um conhecido chefe da máfia Triad de Hong Kong, foi casado com Betty Ting Pei
A hipótese de envenamento foi reforçada quando vazaram depoimentos de pessoas que auxiliaram os legistas que fizeram a autópsia do corpo de Bruce Lee, que perceberam suas mãos e pés enegrecidos, uma característica do envenenamento por arsênico, e que a têmpora esquerda estava inchada como se tivesse levado uma forte pancada. Antes do sono mortal no apartamento de Betty Ting Pei, Bruce teria sofrido um colapso meses antes durante uma passagem de som de Enter The Dragon (Operação Dragão – 1973) nos estúdios da Golden Harvest. Raymond Chow estava lá quando Bruce teve convulsões, fez vômito e, quase em coma, foi levado ao hospital rapidamente. Mas se recuperou, fez exames e foi comprovado que estava em perfeita forma física ainda que fosse prescritos medicamentos para reduzir o volume anormal de seu cérebro e algum tranquilizante.
No filme Fists of Fury (A Fúria do Dragão – 1972) dirigido por Lo Wei, o mestre do herói chinês Chen Zhen (Bruce Lee) é assassinado por envenamento por pessoas ligadas à sua escola de artes marciais a mando das autoridades invasoras japonesas. Chen logo desconfia da morte misteriosa do mestre, que tinha boa saúde e se cuidava apesar da idade já avançada. Ao investigar descobre vestígios e pistas que o levam a ter certeza do atentado contra o mestre. Chen se vinga dos usurpadores japoneses e, no final, é convencido pelos companheiros de escola a se entregar às autoridades policiais. No entanto, é assassinado por um grupo de “justiceiros” estrangeiros à bala quando era guiado pela autoridade policial na saída da escola. O filme foi baseado numa história real que aconteceu no início do século XX, mais precisamente em 1910, quando o famoso e imbatível mestre chinês, Huo Yuanjia, morreu misteriosamente no leito de sua cama sob suspeita de ter sido envenenado por agentes japoneses. Um de seus discípulos teria se revoltado contra as autoridades japonesas ocupantes e teria sido morto ou dado como morto.

Final de Fists of Fury onde Chen Zhen é fuzilado ao saltar contra a multidão armada. A cena que foi incluída no Jogo da Morte de 1978, teria inspirado os assassinos de Brandon Lee?
A cena do fuzilamento de Chen Zhen foi usada na montagem (caça-níqueis) de The Game Of Death (O Jogo da Morte – 1978) onde o personagem Billy Lo (Bruce Lee), uma ator famoso de artes marciais em Hong Kong, que era assediado constantemente pela máfia, sofre um atentado no set de filmagem com balas de verdade ao invés de serem de festim. Billy Lo teria recebido um tiro no rosto, mas se recupera, e após uma cirurgia plástica parte para a vingança bem sucedida.

Stick, agachado, espera o momento certo para atirar em Billy Lo no Jogo da Morte (1978)
Billy Lo é atingido no rosto, mas sobrevive para a vingança na ficção


Voltando à realidade, 15 anos depois, mais precisamente em 31 de março de 1993, durante a gravação no set de filmagem do filme The Crow (O Corvo), Brandon Lee foi atingido mortalmente por um tiro no abdomem que perfurou diversos orgãos, causando hemorragia interna e cujo projetíl fraturou sua coluna. Novamente a máfia chinesa estava por trás dessa tragédia? Brandon foi vítima de um tiro certeiro de uma magnum 44, no set de filmagens. A munição da arma usada deveria ser de festim, mas por uma falha inexplicável e certamente suspeita, não houve uma conferência adequada da arma em questão a ser utilizada na cena fatal não só para o personagem, mas também para o próprio Brandon. O ator responsabilizado pelo tiro fatal, Michael Massee, foi inocentado posteriormente e somente acusado de negligência, mas ficou quase um ano afastado da mídia e do cinema, deprimido, reconhecendo que foi indiretamente responsável pela morte de Brandon.

Michael Massee, responsável e ao mesmo tempo vítima na morte de Brandon Lee em 1993
Tal como aconteceu na cena de A Fúria do Dragão (1972) em que Cheng é assassinado e que também foi utilizada para ilustrar o atentado a Billy Lo em O Jogo da Morte (1978), Brandon foi ferido mortalmente numa cena para O Corvo (lançado em 1994) em que seu personagem, Eric Draven, seria abatido a tiros. Uma mescla macabra de ficção e realidade.

Encenação do "acidente" com Brandon Lee no set de O Corvo (1993)
Quando ocorreu o “acidente” com Brandon, as filmagens de O Corvo não haviam sido concluídas totalmente, mas com os recursos modernos de computação, as cenas não filmadas por Brandon foram feitas por um dublê com o rosto de Brandon insertado digitalmente ao seu corpo  graças às técnicas modernas de computação e assim, o filme foi concluído e lançado no ano seguinte.
Já as filmagens originais de O Jogo da Morte foram interrompidas por Bruce Lee para fazer Enter the Dragon (Operação Dragão – 1973), mas foram reiniciadas logo após a conclusão deste. E quando Bruce  volta a filmar as cenas de The Game of Death, não pôde concluí-las, porque lhe sobreveio a morte repentinamente. O filme foi concluído cinco anos depois com sósias, colagens e cenas de outros filmes com imagens de Bruce Lee, inclusive com cenas do seu próprio funeral em Hong Kong. O que  foi de muito mal gosto por parte dos cineastas responsáveis.

Lo Wei, o diretor fanfarrão e membro de Triad (morto em 1996) e que causou muitas dores de cabeça para Bruce lee é suspeito de estar envolvido na morte do Rei das Artes Marciais. 
É sabido que Bruce Lee teve muitas desavenças com o diretor fanfarrão Lo Wei durante as filmagens de The Big Boss (Dragão Chinês – 1971) e Fists Of Fury (A Fúria do Dragão – 1972). A rixa continuou mesmo quando não mais trabalhavam juntos e em certa ocasião quase chegaram às vias de fato, sendo preciso a intervenção da polícia no escritório da Golden Harvest, em Hong Kong. Lo Wei teria até acusado Bruce de ter lhe ameaçado com uma faca. Lo Wei, morto em 1996 aos 77 anos, foi outro membro comprovado da máfia Triad de Hong Kong. O motivo das discussões poderia ter sido as questões técnicas de filmagens, a direção indiferente de Wei, os roteiros mal escritos e as locações sofríveis, como também a cobrança do pagamento do “seguro” ou de “favores” pela máfia, prontamente recusados por Lee. Mas de qualquer forma, o fato é que Lee morreria dias depois dessa discussão.
Bruce Lee após realizar o seu terceiro filme The Way of The Dragon (O Vôo do Dragão – 1972) pela sua recém formada Produtora Concord, em parceria com Raymond Chow, se responsabilizando também pela direção, roteiro, coreografia de lutas e  atuando como ator principal, já estaria pensando em voltar definitivamente para os EUA. Desgastado com a pressão sofrida em Hong Kong, ele queria tocar sozinho seus próprios projetos, na esperança de uma boa recepção de público e crítica para o filme que se tornaria o clássico dos filmes de artes marciais, Enter the Dragon (Operação Dragão – 1973), que lhe traria a consagração internacional. 

Raymond Chow, deu apoio a Bruce Lee na confusão com Lo Wei, mas não ficou satisfeito com o provável retorno de Lee para os EUA, é outro suspeito de estar envolvido na morte do astro do Kung Fu
Entretanto, a possibilidade de perder “a galinha de ovos de ouro” não teria agradado aos produtores chineses (principalmente Chow) e à máfia. Assim juntou-se a ganância de Chow, o rancor de Lo Wei e a vingança da Triad para conspirarem contra a vida de Bruce Lee. Para agravar ainda mais a tensão entre Lee e Raymond Chow, houve uma visita de Bruce Lee à Shaw Brothers em 1973 (pouco antes de sua morte), companhia cinematográfica rival da Golden Harvest e de onde Raymond Chow saiu para formar seu próprio estúdio. Bruce Lee teria acertado um contrato de exclusividade por três meses (para o final de 1973) com a Shaw Brothers de Run Run Shaw (o chefão do cinema de Hong Kong), o mesmo que não teria reconhecido o talento de Bruce Lee assim que ele voltou para Hong Kong em 1971 em busca da sua consolidação com ator. Bruce estava deixando claro que era independente e dono do próprio nariz.


Bruce Lee em visita à Shaw Brothers, em 1973, enquanto ainda filmava Operação Dragão, posa junto aos astros dos "filmes de Shaolin" Chen Kuan-Tai e David Chiang (ao centro) e ao lado do amigo Unicorn. Na foto à direita, Bruce e Unicorn posam em frente à Shaw Brothers.
E no fatídico 20 de julho de 1973, durante o intervalo de um suposto encontro entre Bruce, Raymond Chow, Betty Ting Pei e o ator George Lazenby (ex-007) que seria num restaurante para tratar dos detalhes do filme The Game Of Death (O Jogo da Morte), Bruce se deita com dor de cabeça após tomar um comprimido de equagesic dado por Betty e nunca mais acordou. Diferentemente do primeiro colapso, meses atrás, o atendimento demorou, primeiro Betty chama por Raymond Chow após inúmeras tentativas inúteis de reanimá-lo sozinha, depois  solicita seu médico particular que também não é bem sucedido na reanimação, e quando resolvem chamar a ambulância, descobriu-se provavelmente que era tarde demais. Em depoimento posterior ao acontecimento, Raymond Chow teria declarado que Bruce Lee “sentiu-se mal” no jardim de sua casa, depois se corrigiu  apontando o local para o apartamento de Betty Ting Pei. Qual seria a verdade? Lee foi envenenado e depois de espancado, foi removido do local original? Muitas dúvidas perduram até hoje.
Linda a última a saber, chegou primeiro que o próprio Lee no hospital Queen Elizabeth.
Causa mortis oficial: morte por infortúnio, reação alérgica aos componentes do comprimido que ingeriu que provocou um edema cerebral. Simples assim!

O tumulto gerado em Hong Kong no velório de Bruce Lee em 1973


O corpo de Bruce Lee sendo embarcado para Seattle, nos EUA, para ser sepultado
Na despedida de Hong Kong, após o velório e rumo a cidade de Seattle, nos EUA, para sepultar o corpo de Bruce Lee, Linda Lee (esposa de Bruce), visivelmente chocada e assustada, faz um depoimento conformado sobre a morte inesperada do marido, preservando a si mesma e aos pequenos Brandon e Shannon das especulações polêmicas.

Tom Bleecker, ex-esposo de Linda Lee Cadwell (agora casada pela terceira vez), revela suas teorias polêmicas sobre a vida e morte de Bruce Lee
Foi denunciado por Tom Bleecker, um escritor e roteirista do cinema e TV, conhecido também como o segundo marido de Linda Lee Cadwell entre 1988-1990, através de um livro polêmico (The Life and Death of Bruce Lee) que desagradou muito a Linda e a Shannon, que uma possível razão da morte de Lee seria sua dependência aos esteróides anabolizantes que além de miná-lo fisicamente, o deixavam depressivo, paranóico e agressivo. Linda escreveu em 1975 o livro, Bruce Lee: The Man Only I Knewn, no qual ela conta sua vida ao lado de Lee (do namoro na faculdade até a morte do marido). Esse livro teria sido a base para o roteiro do filme Dragon: The Bruce Lee Story (Dragão – A História de Bruce Lee - 1993) com Jason Scott Lee (que não agradou muito aos fãs no papel de Bruce Lee). Em 1989, com o auxílio de Bleecker, 

Os livros escritos por Linda: Bruce Lee: The Man Only I Knew, de 1975 e The Bruce Lee Story, de 1986, em parceria com o então segundo esposo, Tom Bleecker
Linda escreveu outro livro intitulado The Bruce Lee Story, o mesmo título do filme biográfico que viria a ser feito sobre Bruce Lee. O filme Dragão – A História de Bruce Lee, em outra trágica coincidência, foi lançado em maio de 1993, dois meses depois da morte de Brandon Lee e foi dedicado a ele e a seu pai. 

Dragon, The Bruce Lee Story (Dragão, a História de Bruce Lee - 1993) lançado no mesmo ano em que Brandon Lee morreu. O filme, apesar de bem produzido, não agradou aos fãs e foge um pouco da realidade da vida de Bruce Lee com algumas fantasias contestadas por Tom Bleecker.
Sobre esse filme Bleecker questiona certas passagens (que tiveram o aval de Linda para o filme) como fictícias, como a lesão grave que Lee teve nas costas (na verdade, devido a um exercício mal feito com pesos) que o deixou praticamente imobilizado por seis meses, sendo apresentada no filme como resultado de um golpe traiçoeiro de um mestre chinês num desafio em Seattle nos anos de 1960 (luta que realmente ocorreu contra Wong Jack Man e que Bruce teria vencido sem maiores problemas); a suposta luta que Bruce Lee teve um tailandês nas filmagens de The Big Boss (O Dragão Chinês – 1971), o que não ocorreu; e, pasmem, a causa de sua morte foi apresentada como uma consequência de uma maldição e perseguição de demônios hereditários.

Brandon lee caracterizado como Eric Draven em O Corvo. Sua morte "acidental" cheira a um sarcástico assassinato. Brandon esperava poder investigar a verdade sobre a morte de seu pai após as filmagens.
Outra bomba que Bleecker soltou foi que durante as filmagens de O Corvo, Brandon teria comentado que uma da coisas que mais o pertubavam era o mistério da morte de seu pai,  e que ele (Brandon), após examinar algumas anotações antigas dos arquivos de Bruce Lee, estaria decidido reabrir o caso e fazer uma investigação mais apurada após a concluir as filmagens de O Corvo. Ora, se o próprio Brandon questionava sobre a verdadeira causa da morte de seu pai, era porque  a história oficial nunca o convenceu e certamente também a Linda que sempre se mostrou conformada com o desfecho da apuração oficial, talvez por instinto de preservação aos filhos e a si própria.
Pouco tempo após tal declaração, Brandon foi vítima fatal do acidente no set de filmagem. Bleecker, talvez motivado pela amargura ou simples ambição pessoal, lançou o livro após se divorciar de Linda que se casou pela terceira vez em 1991, com Bruce Cadwell.
Segundo a própria Linda, Bruce Lee estaria nos últimos meses de sua vida muito inquieto, ansioso,  irritado e dizia ter a sensação de que não viveria por muito tempo. Ele estaria ciente da sua real condição física considerando um mal súbito fatal ou simplesmente temia um atentado contra sua vida?

Fatos curiosos sobre a Morte de Brandon Lee:

A arma, uma magnum 44 que teria sido usado para liquidar Brandon
- Durante uma cena final no qual o personagem de Brandon Lee (Eric Draven) luta contra alguns marginais, ele é atingido pelas costas com um golpe de katana, espada japonesa, que atravessa seu abdomen. Por uma estranha coincidência, a perfuração da espada foi exatamente no ponto exato por onde a bala fatal da magnum 44 entrou.
- A tomada da cena fatídica em que Brandon é baleado mortalmente teve três tomadas. Nas duas primeiras tudo correu bem, mas na terceira tomada, ocorreu o tiro fatal. Ou seja, na troca de munição houve uma falha gravíssima ou foi intencional. Os técnicos responsáveis pelas armas eram Bruce Merlin, Charlene Hamer e Daniel Kuttner, foram inocentados.
- A distancia de Brandon para o ator Michael Massee que efetuou o disparo mortal era de 3,60 metros.
- A cena em que Brandon foi ferido mortalmente poderia ter sido na qual seu personagem chega no apartamento no momento em que  sua noiva estava sendo violentada pelos marginais e é baleado ao tentar defendê-la, ou, na que é mais provável, quando Eric Draven de volta da morte surpreende 'Fun boy' (Michael Massee) no quarto com a namorada e é atingido mortalmente no terceiro tiro.
- Foi divulgado que um figurante possivelmente sino-americano não identificado que estava circulando no set. Ele teria expressado sua obsessão por filmes de artes marciais e um amor por armas de fogo. O desconhecido teria se ofereceu para limpar as armas que seriam utilizadas na cena e disse que veio de Nova York para acompanhar as filmagens de O Corvo. Após o acidente no set ele não foi mais visto nem conseguiram identificá-lo na lista de figurantes.
- As imagens das tomadas que registraram a morte de Brandon foram destruídas graças a um acordo judicial entre Linda Lee e os produtores do filme, os executivos do estúdio e os atores envolvidos na cena.

Fatos curiosos que antecederam a Morte de Bruce Lee:

Chen Zhen (Bruce lee) em A Fúria do Dragão (1972), indignado com a morte suspeita de seu mestre (no retrato ao fundo). Na verdade trata-se do Mestre Huo Yuanjia, que realmente existiu e teria sido envenenado por chineses corrompidos pela força ocupacional japonesa em Xangai, no ano de 1910. E 63 anos depois, Bruce Lee teria sido morto da mesma forma.
- Em 05 de maio de 1973, o produtor da Golden Harvest, Raymond Chow, teria feito uma apólice de seguro de vida em nome de Bruce Lee.
- Em 10 de maio de 1973, Bruce teria a primeira convulsão nos estúdios da Golden Harvest enquanto sincronizava o som de Operação Dragão. Raymond Chow estava presente.
- Rapidamente ele foi levado ao Hospital Batista de Hong Kong onde foi atendido pelo Dr. Langford e pelo Neurologista Dr. Wu.
- Durante seu estado de inconsciência, foi detectado um inchaço no cérebro de Bruce lee e foi prescrito o medicamento Manitol para diminuir o edema.
- Durante sua recuperação Bruce teria admitido que teria mastigado folha de haxixe do Nepal. O que fazia habitualmente há algum tempo. Ele foi aconselhado pelos médicos a parar com tal hábito.
- Em junho de 1973, Bruce fez  exames médicos preventivos em Los Angeles e todos os resultados foram satisfatórios. Segundo os médicos, Dr. Karpland e o neurologista Dr. Reisboard, Bruce tinha a saúde de um jovem de 18 anos, apesar da perda drástica de quase 5 kg de peso. Bruce pesou 57 kg no exame e seu peso normal seria entre 60 a 62 kg.
- Em 10 de julho de 1973, Bruce tem uma séria discussão com o diretor Lo Wei, no escritório da Golden Harvest. Raymond Chow estava presente. Segundo foi registrado pela ocorrência policial, Bruce teria ameaçado Lo Wei com uma faca, mas a tal faca não foi achada.
- Em 20 de julho de 1973, Bruce Lee morre misteriosamente no apartamento de Betty Ting Pei.
Segundo os médicos reponsáveis pela autópsia, Lee foi vítima de um edema cerebral ou inchamento do cérebro causado por uma alergia ao comprimido equagesic lhe oferecido pela atriz. Cogitou-se que o quadro poderia ter sido agravado pelo fato dele ter mastigado e ingerido folhas de canabis (que poderia ser haxixe ou maconha), que foi achado em seu estômago durante a autópsia. A possibilidade foi descartada depois pelo fato de que a porção da erva era desprezível e portanto  não poderia ter lhe  causado nenhum mal.

Fatos Curiosos ocorridos no dia da Morte de Bruce Lee:

Raymond Chow e George Lazenby (ex-007) no velório de Bruce Lee em 1973. Bruce não compareceu ao encontro com os dois naquela fatídica noite de 20 de julho.
- Na sexta feira do dia 20 de julho de 1973, Bruce marcou um compromisso em sua  casa com Raymond Chow as 14:00. Linda, Brandon e Shannon tinham saído. Por incrível que pareça, a casa que só andava cheia e movimentada, estava nesse dia em especial, vazia, apenas com Bruce e Raymond Chow.
- Na agenda dos dois estava marcado um encontro à noite no Miramar Hotel com o ator inglês George Lazenby (ex-007) para acertar sua participação no projeto O Jogo da Morte.
- As 16:00, Bruce teria saído de sua casa com Raymond Chow para irem ao apartamento da Atriz Betty Ting Pei, que também participaria do filme O Jogo da Morte. Por poucos segundos Bruce e Raymond Chow não encontram com Linda que chegava em casa com o casal de filhos.
- As 19:30, durante a reunião no apartamento de Betty Ting Pei (que  muitos diziam ser uma amante de Lee), Bruce queixa-se de dor de cabeça, ingere um comprimido de Equagesic dado por Betty e vai deitar-se no quarto da atriz.
- As 19:40, Raymond Chow saiu para o suposto encontro com George Lazenby no hotel, aguardando que Bruce Lee se recuperasse a tempo para se juntar a eles. Betty Ting Pei permanece com Bruce no apartamento.
- As 21:00, Chow telefona do hotel cobrando a presença de  Bruce e Betty para a reunião com Lazenby. Betty diz que não conseguiu acordar Bruce Lee e pede que Raymond Chow fosse ao apartamento.


Ilustração do quarto de Betty Ting Pei e o posicionamento de Bruce Lee na cama
- As 21:30, Chow chega ao apartamento e encontra Bruce Lee ainda inconsciente na cama de Betty Ting Pei.
- Betty e Chow resolvem chamar o Dr. Eugene Wu, que veio sem demora e tenta sem sucesso reanimar Bruce Lee por 10 minutos.
- Raymond Chow resolve avisar a Linda Lee por telefone para que ela se dirigisse ao Hospital Queen Elizabeth e em seguida chama a ambulância.
- As 22:30, a ambulância trazendo Bruce Lee do apartamento de Betty chega ao hospital (apesar de ter levado 45 minutos para percorrer o trajeto, o normal seria, em média, 14 minutos). Uma equipe de médicos já estava em prontidão. Linda Lee tinha chegado antes da ambulância.
- As 23:30, Raymond Chow anuncia à imprensa a morte de Bruce Lee.
- Raymond Chow teria entrado em contradição em declarar incialmente que Bruce Lee teria passado mal em sua casa, logo depois teria mudado a informação para o apartamento de Betty Ting Pei. 
- O que muito se questionou foi sobre a demora de Betty Ting Pei e mesmo de Raymond Chow para decidirem chamar a ambulância ao perceberem o grave estado de Bruce Lee, da mesma forma que foi feito dois meses atrás quando Bruce desfaleceu na Golden Harvest. A demora do atendimento pode ter sido fatal. Será que foi intencional?

Outros pontos de vista sobre as possíveis causas da morte de Bruce Lee:

Velório de Bruce Lee em Hong Kong
- Alguns polêmicos estudiosos do assunto, como Tom Bleecker, declaravam que Bruce abusou no uso de esteroídes anabolizantes que o levaram à morte, mas na verdade ele teria usado esteróides catabólicos, que são anti-inflamatórios e que já eram acessíveis em lojas autorizadas. Já os esteróides anabolizantes ilegais eram e ainda são usados para desenvolver a musculatura de forma anti-natural e de forma prejudicial à saúde.
 - Outros afirmaram que Bruce teria morrido devido a uma reação alérgica à maconha. Pelo que se sabe nunca ninguém morreu intoxicado por maconha. E a quantidade encontrada em seu estômago era ínfima.
- Outra hipótese seria que Lee teria morrido devido a uma reação alérgica aos componentes do  comprimido Equagesic (325mg de aspirina e 200 mg de tranquilizante) que ingeriu. O Equagesic foi prescrito nos EUA de 1960 a 1997, sem nenhum relato de caso de morte.
- Charles Heung (ex-ator e ex-marido de Betty Ting Pei) e Lo Wei (produtor, morto em 1993) eram membros da Triad e provavelmente estavam envolvidos na morte de Bruce Lee. Lo Wei e Bruce Lee tinham  discussões constantes e Lee teria ameaçado ao produtor chinês em 1973 poucos dias antes de sua polêmica morte. Bruce já estava decidido a retornar para os EUA e criar seu próprio estúdio, o que não teria agradado a todos que faturavam com os filmes made in Hong Kong.
- Betty Ting Pei (ainda solteira) foi uma isca perfeita usada pela Triad para atrair Bruce Lee para a morte.
- De acordo com depoimentos de funcionários do serviço funerário de Kowloon, em Hong Kong, responsáveis pela preparação do corpo para o velório, as mãos e pés de Bruce estavam estranhamente negros e sua têmpora esquerda estava inchada ou lesionada. É óbvio que o edema cerebral causa apenas o inchaço interno, não haveria como provocar um inchaço externo e seu pescoço estava estranhamente dobrado. Eles concluíram que pelos sinais físicos que observaram em seu corpo, que ele provavelmente teria sido envenenado por arsênico e poderia ter sofrido alguma agressão depois de estar inconsciente. 


O corpo de Lee nos procedimentos para o velório, nota-se uma curvatura estranha em seu pescoço.

Os efeitos colaterais do envenenamento pelo arsênico são reconhecidamente fortes dores de cabeça e cólicas abdominais, náuseas, vômitos, convulsões, coma e morte. O óxido de arsênio é um pó branco, sem gosto ou cheiro que pode ser facilmente adicionado à uma refeição ou bebida de uma pessoa sem levantar supeitas. Era conhecido como “pó da herança” porque costumava abreviar de forma muito conveniente a herança de tronos e títulos da nobreza na antiguidade. O arsênio pode se tornar mortal se consumido apenas uma décima parte de 1 grama durante dois meses, sendo que 1 grama de arsênio é veneno suficiente para matar sete pessoas adultas, e 100 mg (uma colher de sopa) mataria uma pessoa em minutos. Por ser branco ou incolor não apresenta assim sinais identificáveis, o que faz esse composto ser tremendamente traiçoeiro e mortífero.

O corpo de Bruce Lee sendo velado em Hong Kong
O veneno arsênico é conhecido pelos chineses há séculos, sendo utilizado por herbalistas tanto para a cura quanto para a  morte, sendo que nos anos de 1970 eram comuns casos de entoxicação por arsênio por contato  ou consumo de águas contaminadas em Hong Kong.
Especulações e teorias conspiratórias? Só o tempo dirá. Espero o dia em que virá à tona toda a verdade, pois como um fã (e não idólatra) há 40 anos do Pequeno Dragão não posso me conformar com sua morte mal explicada, como também não há como deixar de relacionar sua passagem com a morte de seu filho Brandon Lee, morto de um forma tão relapsa e irônica, que me parece que foi totalmente um ato maquiavélico e proposital.


Funeral de Bruce Lee em Seattle: Entre os demais ilustres convidados estavam os atores de Hollywood, Steve McQueen e James Coburn, o mestre introdutor do Taekwondo nos EUA, Jhoon Rhee; e o  campeão lutador de Tang Soo Do e ator  principiante, Chuck Norris.
Túmulos de Bruce e Brandon no Cemitério de Lakeview, na cidade de Seattle, estado de Washington, EUA.
Bruce Lee não era um deus ou um super-homem, mas era uma pessoa especial, revolucionária, inteligente e criativa, pai e esposo amoroso com seus defeitos e virtudes, e com certeza um vencedor que superou suas limitações físicas, preconceitos raciais e barreiras culturais, dando o seu melhor para crescer como um cidadão do mundo a ponto de finalmente merecer o título de “Rei das Artes Marciais”. Brandon seguia seu próprio caminho, tinha personalidade e carisma próprios, considerava sua mãe e sua irmã Shannon, estava próximo de constituir uma família e certamente se tivesse mais tempo, teria obtido um grande sucesso em sua carreira  de ator. Que Deus tenha misericórdia de Bruce e Brandon.


Por Eumário J. Teixeira
 
 
Até a próxima
See you later

   Dido
   Discípulo particular do SiFu Marcos de Abreu
   Brazilian Wing Chun Academy

Dido
Private disciple of SiFu Marcos de Abreu
Brazilian Wing Chun Academy

segunda-feira, 1 de julho de 2019

wing chun way of life: Especial Entrevistas: SiFu Marcos de Abreu

wing chun way of life: Especial Entrevistas: SiFu Marcos de Abreu: Para dar prosseguimento ás postagens deste blog, iremos selecionar as melhores entrevistas do Blog do Dido e reproduzi-las aqui. Esta entrev...

Diário de treiinamento Regular


(Prática de Free Chi Sau com Antônio em um dos momentos de nosso treino regular)




Nossos treinamentos regulares seguem firmes no nùcleo da Brazilian Wing Chun Academy - BWCA em Recife. Neste ultimo sábado, contamos com mais 3 visitantes que fizeram uma aula experimental e puderam conferir como funciona nosso ritmo de trabalho

(Francisco relembrando comigo alguns movimentos de Chi Sau enquanto João - ao fundo - trabalha sua movimentação de base)


Tivemos também o retorno de Francisco ás atividades. Com a sala da Wiskeria reformada em um novo ambiente, pudemos trabalhar vários elementos do sistema Wing Chun, com um maior conforto e segurança.


(Francisco me ataca; Pak Da como resposta  ao agente estressor)
Para integrar nossas visitantes, treinamos previamente uma técnica bastante simples chamada Pak Sal.




Os alunos que estão há mais tempo tiveram a chance de revisar suas bases, trabalhar a primeira forma, e revisar os básicos, antes de entrarmos no trabalho de base Saam kwock Mah, com obstáculos que me foram presenteados pelo Dr. João Leão para uso do núcleo.
(Trabalho de base: Enquanto mostro a pisada, focando no movimento de pés, que faz com que você se empurre para o próximo movimento ao João e ao Francisco, Antônio já segue a minha frente, conteúdo visto de forma mais simples com SiFu em Salvador. Aproveitamos a quantidade de obstáculos para trabalhar de forma contínua)




 Pouco antes de entrarmos no circulo de luta e no trabalho de força, ainda um pouco antes do trabalho de base, tivemos uma pequena introdução ao Chi Sau. Aqui, Antônio me auxiliou a explicar alguns conceitos mais básicos deste exercício único do sistema Wing Chun ás nossas visitantes.



(Double Hand Chi Sau com Antônio; Having Fun Playing Chi Sau) 
 (Jarn Pak Sau application)





 Mas o momento em que todos trabalharam foi com a prática da forma mais simples deste exercício, denominada Dan Chi Sau ( Tang Chi Sau). A forma mais simples deste exercício, vista ainda no primeiro nível do sistema, denominado Siu Lin Tau.


(Tan Sau V.s. Fook Sau) 

(Ding Jeang V.s. Jat Sau)

(Bong Sau V.S. Yat Ji Jung Choy)


E só por ultimo, fizemos nosso circuito de exercícios de força. Circuito esse que abrange uma série de exercícios de resistência, de força muscular e de trabalho de preparação de áreas específicas para cada técnica utilizada.




(As meninas jogando duro)

( E nós também...)


Normalmente uma rotina de treino aqui em Recife segue um padrão básico e uma rotina básica. Após alguns minutos de exercícios de alongamento, seguimos para;


  • Siu Lin Tau (forma)
  • Single Hand Chi Sau
  • Double Hand Chi Sau
  • Treinos de base
  • Fighting Drills ( Treinos isolados, á dois, e no circulo de luta) com a ''Técnica do dia''.
  • Power exercises


Até a próxima.







      Dido
      Discípulo particular do SiFu Marcos de Abreu
      Brazilian Wing Chun Academy
      Dido
      Private disciple of SiFu Marcos de Abreu
     Brazilian Wing Chun Academy

sexta-feira, 28 de junho de 2019

Tang Chi Sau practice

Este é um exercício muito básico e muito elementar do sistema Wing Chun. Não há nenhum outro similar em outros estilos de artes marciais. Chi Sau - ou braços aderentes, ou Sticking Hands - já foi e é assunto de vários tópicos, mas aproveitando a oportunidade de relembrar ao amigo leitor sobre este aspecto, hoje falaremos do Chi Sau em sua forma mais importante e mais subestimada pelos praticantes do sistema; Dan Chi Sau.
Dan Chi Sau ( Doan Chi Sau, Tan Chi Sau, Tang Chi Sau, etc..) é o mais básico exercício de mãos vazias praticadas á dois do sistema Wing Chun. Prioritariamente, este exercício só terá aproveitamento de sua finalidade se praticado com outra pessoa, já que depende basicamente do contato com o parceiro de treino. Não se pratica Chi Sau sozinho, caso contrário, seria algo como ''falar sozinho'' para treinar a pronúncia, mas isso ,normalmente ninguém faz...

Tang Chi Sao tem uma relação muito próxima com a primeira parte da forma Siu Lin Tao. Quando executamos a forma e damos início á sequência de Saam Pai Fut (três reverências á buda, usando um termo geral) onde os movimentos são; Tan Sao, Hueng Sao, Wu Sao, Jut Sao e Fook Sao, de forma tensa e extremamente lenta, estamos exercitando a criação de uma memória neuro-muscular que vai ajudar á memorizar um bom posicionamento dos ângulos dos elementos técnicos justamente pro Tang Chi Sao.

This is a very basic and very elementary exercise of the Wing Chun system. There is no other similar in other styles of martial arts. Chi Sau - or Sticking Hands - has already been and is the subject of several topics, but taking advantage of the opportunity to remind the reader friend about this aspect, today we will talk about Chi Sau in its most important and most underestimated form by system practitioners ; Dan Chi Sau.

Dan Chi Sau (Doan Chi Sau, Tan Chi Sau, Tang Chi Sau, etc.) is the most basic exercise of empty hands practiced in two of the Wing Chun system. Priority, this exercise will only take advantage of its purpose if practiced with another person, since it basically depends on the contact with the training partner. You do not practice Chi Sau alone, otherwise it would be something like '' talk alone '' to train the pronunciation, but this, normally nobody does ...
Tang Chi Sao has a very close relationship with the first part of the form Siu Lin Tao. When we execute the form and begin the sequence of Saam Pai Fut (three bows to the buddha, using a general term) where the movements are; Tan Sao, Hueng Sao, Wu Sao, Jut Sao and Fook Sao, in a tense and extremely slow way, we are exercising the creation of a neuro-muscular memory that will help to memorize a good positioning of the angles of the technical elements precisely for the Tang Chi Sau.




Resultado de imagem para dido wing chun siu nim tao
(Francisco e eu durante a prática da forma Siu Lin Tau)



Dentro do contexto proposto por esse exercício, um outro aspecto fundamental é o seu critério para buscar um melhor posicionamento, garantindo uma postura tanto ofensiva, quanto defensiva, cobrindo seus melhores ângulos, aprendendo a 'ler' de forma instintiva a intenção do parceiro de treino por meio do contato com os braços.
Muitos praticantes se esquecem da importância desta forma de exercício. Visualmente falando, um Chi Sau com duas mãos é mais interessante mesmo de se ver e praticar até. Porém, é na base que uma casa se sustenta e não no teto. A base do Chi Sau de duas mãos é o Chi Sau simples. Em nossa escola, definimos esse exercício como Tang Chi Sau ou ''Single Hand Chi Sau.'' SiFu sempre me disse que quanto melhor você for naquilo de mais básico, melhor será quando alcançar um nível avançado. O efeito contrário é verdadeiro, caso você negligencie o básico do seu estilo.

Tang Chi Sao e seung chi sao como já escritos por sifu em uma de suas ótimas matérias (http://appliedwingchunsalvador.blogspot.com.br/2011/07/chi-sao-nao-te-prepara-para-luta.html) é um exercício mental interessante,mas que de fato, não deixa ninguém bom em combate... Embora ensine uma das coisas mais importantes dentro da jogo da luta que é o princípio de "cobrir", á como você deve perceber alguma abertura em sua guarda e a como cobri-la, antes que o adversário á perceba, impedindo sua ofensiva antes mesmo que ela ocorra. È importante também lembrar que se trata apenas de um exercício que atende finalidades específicas e que sem entender conceitos como fook sao, kwan sao,jut sao, etc., fica difícil compreender seu treinamento por completo.

Within the context proposed by this exercise, another fundamental aspect is its criterion to seek a better positioning, guaranteeing an offensive as well as defensive posture, covering its best angles, learning to 'read' instinctively the intention of the training partner by means of contact with the arms.
Many practitioners forget the importance of this form of exercise. Visually speaking, a Chi Sau with two hands is more interesting even to see and practice up to. However, it is on the basis that a house is supported and not in the ceiling. The base of the two-handed Chi Sau is the simple Chi Sau. At our school, we have defined this exercise as Tang Chi Sau or '' Single Hand Chi Sau. '' SiFu has always told me that the better you are at basics, the better you will be when you reach an advanced level. The opposite effect is true if you neglect the basics of your style. Tang Chi Sao and seung chi are as already written by sifu in one of his great stories (http://appliedwingchunsalvador.blogspot.com.br/2011/07/chi-sao-nao-te-prepara-para-luta.html ) is an interesting mental exercise, but in fact it does not make anyone good in combat ... While teaching one of the most important things in the struggle game that is the "cover" principle, how you should perceive some opening in his guard and how to cover it, before the adversary perceives it, preventing his offensive before it even occurs. It is also important to remember that it is only an exercise that serves specific purposes and that without understanding concepts such as fook, kwan sao, jut sao, etc., it is difficult to understand their training completely.


Workout Básico:




(Tenha em mente que antes de tudo; Chi Sau é um exercício. Ponto.A noção á ser desenvolvida aqui não é a de vencer o oponente, muito menos de bater o tempo todo no oponente. Sigung Li Hon Ki e SitaaiGung Duncan diziam que para aprender a bater, você não precisa de artes marciais. Mas o propósito de aprender artes marciais era o de ''não apanhar'' de ninguém. Sendo assim, muitos desafios de Chi sau que vemos hoje na internet soam duplamente sem sentido. Duplamente porque um; Ao ter a ideia de ''vencer alguém'' no Chi Sau, o propósito do ''porque fazer'', já se perde. Dois, uma vez que eu entro numa disputa com alguém numa troca de golpes desconexa e sem sentido nenhum, não se desenvolve os atributos necessários e visados para esta prática,já que boa parte das premissas básicas deste exercício são postas de lado. O lutador de Wing Chun,por premissa, não deve trocar golpes á esmo com seu oponente, mas busca lutar por estratégia. Sendo assim, por experiência própria, posso garantir que é muito mais benéfico praticar algum Chi Sau com alguém que sabe mais do que você, do que o contrário. E não, não se decepcione ao ser atingido várias e várias vezes, quando acontecer - repare que eu não disse ''Se'',mas ''Quando'' - já que ser atingido, significa que no próximo movimento, aquele erro que permitiu que o golpe passasse, não mais ocorrerá. Chi Sau é apenas um exercício, nada mais.Não tenha sentimentos de romantizar a prática nesse sentido.)
 
(Keep in mind that first and foremost Chi Sau is an exercise.) The notion to be developed here is not to beat the opponent, much less to beat the opponent all the time. But the purpose of learning martial arts was to '' catch no one. '' Thus, many of Chi-sau's challenges we see on the internet today sound doubly meaningless. one, Having the idea of ​​"beating someone" in Chi Sau, the purpose of "what to do" is already lost.Two, once I enter into a dispute with someone in a disconnected and meaningless exchange of punches The Wing Chun fighter, on the premise, should not exchange punches at random with his opponent, but he seeks to fight. by strategy. I can assure you that it is much more beneficial to practice some Chi Sau with someone who knows more than you, rather than the other way around. And no, do not be disappointed to be struck over and over again when it happens - notice that I did not say '' If '', but '' When '' - since being hit means that in the next move, that mistake that allowed that the blow would pass, it will not happen again. Chi Sau is just an exercise, nothing more. Do not have feelings of romanticizing the practice accordingly.)
 
 
 
Se algum lutador de outra modalidade te desafia ou quer fazer alguma luta com você, você,por ser praticante de Wing Chun, o chamaria para fazer Chi Sau? Obviamente que não, já que o pretenso oponente, em tese, não sabe o que é Chi Sau.
 
Chi Sau visa te dar uma melhor percepção, de si mesmo, em termos de posicionamento corporal, sentido de controle e equilíbrio,  melhores reflexos, sentimentos de contato e melhores percepções sobre as intenções, posicionamentos e energia ( leia-se esforço direcionado) do oponente em relação á você. Trabalhar a noção de Kum Wai ( Cobrir espaços) ao invés de bloquear, ou seja, manter-se seguro antes mesmo que um ataque possa vir e agir assertivamente, antecipando o movimento, ao invés de bloquear ( ver, identificar e seguir atrasadamente o movimento do oponente) é uma das premissas do Chi Sau. No entanto, erroneamente, muitos instrutores trabalham isto como um match,onde quem bate mais, tem mais ''pontos''. Ser bom em Chi Sau não significa ser bom de luta. Uma coisa, aliás, nada tem a ver com a outra.
 
 
O exercício mais simples consiste no Single Hand, ou única mão. Para isto, vamos observar que nosso posicionamento deve estar em Yee jii Kim Yeung Mah ( base que amarra os dois dedos como o carneiro), de frente para o oponente....
 

If some other fighter challenges you or wants to do some fighting with you, would you, for being a Wing Chun practitioner, call you to do Chi Sau? Obviously not, since the alleged opponent, in theory, does not know what Chi Sau is.
Chi Sau aims to give you a better perception of yourself in terms of body positioning, sense of control and balance, better reflexes, feelings of contact and better insights about the intentions, positioning and energy (read directed effort) of the opponent about you. Working on the notion of Kum Wai rather than blocking, ie keeping oneself safe even before an attack can come and act assertively, anticipating the movement, rather than blocking (see, identify and follow behind the movement of the opponent) is one of the premises of Chi Sau. However, wrongly, many instructors work this as a match, where those who hit the most, have more '' points ''. Being good at Chi Sau does not mean being good at fighting. One thing, incidentally, has nothing to do with the other.
The simplest exercise is the Single Hand, or single hand. For this, we will note that our positioning must be in Yee jii Kim Yeung Mah (base that ties both fingers like the ram), facing the opponent ....


(Antônio e eu durante Single Hand Chi Sau)

Na foto 01, aqui eu estou em Tan Sau, pela porta de dentro (Noi moon) enquanto meu estudante iniciante Antônio está em Fook Sau em Oi moon ( porta de fora). Para o Tan Sau: Meu cotovelo deve estar baixo, ajudando meu pulso a fazer uma ''pressão '' para frente enquanto aponto para o queixo ou para o nariz de Antônio. Por outro lado, Antônio usa a lateral do pulso e da mão para manter o controle do meu Tan Sau, tendo ai o máximo de contato e com seu cotovelo dando suporte para não permitir meu avanço. Desta maneira, nós ''travamos'' o avanço um do outro enquanto levemente exercemos pressão para frente em oposição um ao outro ( Chung Chi / Doy Yen). A única maneira que eu tenho para prosseguir com um ataque, seria virar a minha mão, mostrando a palma e seguindo para frente....


In photo 01, here I am in Tan Sau, through the inner door (Noi moon) while my beginner student Antonio is in Fook Sau in Oi moon (outside door). For Tan Sau: My elbow should be down, helping my wrist to make a 'push' forward as I point to Antonio's chin or nose. On the other hand, Antonio uses the side of the wrist and hand to keep control of my Tan Sau, having maximum contact with him and with his elbow giving support not to allow my advance. In this way, we "catch" the advancement of each other as we lightly push forward in opposition to each other (Chung Chi / Doy Yen). The only way I have to proceed with an attack, would be to turn my hand, showing the palm and moving forward ....










....Desta maneira, ataco com Ding Jeang - na Foto 02 - (palma em linha reta, ou direta,ou frontal). Antônio, que continua mantendo o controle do meu movimento, usa o seu cotovelo como suporte para ''puxar'' meu ataque para si, dispersando a força do meu movimento ao utilizar Jat Sau ( Jum Sau). Como ele ainda está em inicio de treinamento, o critério de posicionamento do cotovelo ainda tende a puxar demais para baixo, como se nota na foto,o que me permitiria dar a volta por fora e acertá-lo com um soco,em uma variação deste exercício. Porém a ideia é  que mesmo que eu continue meu avanço, ele possa manter o controle e seguir no tempo certo. Se ele agisse somente depois que meu braço já tivesse completado o golpe, não adiantaria nada. Se muito antes, também não faria diferença. O ''sentir''' o momento certo para agir vem do estimulo neurológico, do ''disparo'', para atuar no exato instante. Sendo assim, ao utilizar Jat Sau, uma área exposta foi criada. A única maneira de Antônio agora prosseguir com um ataque é aproveitar esta abertura criada para contra-atacar....Eu, de minha feita, não sei como ele me atacará; Tudo o que eu sei é que agora, há uma área exposta e ele pode me acertar na boca do estômago, plexo, pescoço, queixo, nariz....Então ao perceber isso, eu me antecipo ao seu próximo movimento e cubro a área com Bong Sau, sem perder o contato com seu braço, indo em linha reta e quebrando um pouco a resistência de seu golpe, mas tudo isso antes que seu ataque ocorra....

.... In this way, I attack with Ding Jeang - in Photo 02 - (palm straight, or direct, or frontal). Antonio, who continues to maintain control of my movement, uses his elbow as support to "pull" my attack on himself, dispersing the force of my movement by using Jat Sau. Since it is still in the beginning of training, the elbow positioning criterion still tends to pull too low, as shown in the photo, which would allow me to go around and hit him with a punch in a variation of this exercise. But the idea is that even if I continue my advancement, he can keep control and keep going at the right time. If he acted only after my arm had completed the stroke, it would not help. If much earlier, it would not make any difference either. The '' feel '' the right moment to act comes from the neurological "firing", to act at the exact moment. Therefore, when using Jat Sau, an exposed area was created. The only way Antonio can now proceed with an attack is to take advantage of this opening designed to counterattack .... I, in my own case, do not know how he will attack me; All I know is that now, there is an exposed area and he can hit me in the mouth of the stomach, plexus, neck, chin, nose .... Then realizing this, I anticipate his next move and cover the area with Bong Sau, without losing contact with his arm, going straight and breaking the resistance of his blow a little, but all this before his attack occurs ....


 



..Porém, a forma como Antônio me ataca tem uma função muito importante; Manter-se seguro e coberto ao não perder o contato com meu braço e usar o cotovelo de maneira alinhada para não criar uma brecha durante o movimento de avanço enquanto o ataque continua. Se ele socasse, logo após Jat Sau, levantando seu cotovelo,ou com ,digamos, um soco semi-cruzado, eu o acertaria pois o cotovelo perderia a função de controle e me daria a brecha necessária para passar por baixo do braço dele.
Note que o braço dele não está esticado. Isto acontece porque o meu Bong Sau ( Foto 03) tem a função de ''interceptar'' ( Jamming forward) antes da saída do soco. Se ele tiver espaço para esticar minimamente o braço, logo após o meu ataque de palma direta ( Ding Jeang), com facilidade ele me acertaria e o meu Bong Sau seria inútil.

Em algumas transliterações, Bong Sau e suas variantes podem ser interpretadas como ''amarrar alguma coisa''. Então, antes que eu veja o ataque, e antes mesmo que ele possa acontecer, por já saber previamente que meu ataque de palma direta, fez com que uma abertura fosse criada, eu sigo - sem perder o contato com o braço do Antônio - para Bong Sau intentando para frente. Em muitas escolas, Bong Sau é feito para cima, na intenção de redirecionar o braço do parceiro e treino. Se feito desta maneira, dificilmente o soco ( Yat Ji Jung Choy) será defendido e levando em conta que o parceiro de treino pode ser mais forte que você ( E esta é uma premissa básica do estilo), você não será capaz de redirecionar o braço dele para cima. Daí, Bong Sau deve seguir para frente, antes que o soco saia por completo. 
Se em uma situação onde ao invés de eu seguir para Bong Sau, resolvesse atacar com outro soco, o cotovelo do Antônio , se corretamente alinhado, pararia meu ataque e me travaria. Da mesma maneira, eu uso meu cotovelo antes que ele siga para frente em linha reta e mantendo o controle, impeço que outra abertura se crie, cobrindo o espaço antes mesmo que aconteça. Esta noção de cobrir ( Kum Wai) é um dos motes principais na prática do Chi Sau.

..But the way Antonio attacks me has a very important function; Stay safe and covered while not losing contact with my arm and use the elbow in an aligned way so as not to create a breach during the forward movement while the attack continues. If he punched, just after Jat Sau, raising his elbow, or with, say, a half-crossed punch, I would hit him because his elbow would lose the control function and give me the loophole needed to slip under his arm. Notice that his arm is not stretched. This happens because my Bong Sau (Photo 03) has the function of '' intercept '' (Jamming forward) before the exit of the punch. If he had room to stretch his arm minimally, right after my direct palm attack (Ding Jeang), he would easily hit me and my Bong Sau would be useless. In some transliterations, Bong Sau and its variants can be interpreted as '' tying something ''. So, before I see the attack, and before it can happen, because I know beforehand that my direct palm attack has caused an opening to be created, I continue - without losing contact with Antonio's arm - to Bong Sau trying forward. In many schools, Bong Sau is made up, with the intention of redirecting the partner's arm and training. If done in this way, the punch (Yat Ji Jung Choy) will hardly be defended and given that the training partner may be stronger than you (and this is a basic premise of the style), you will not be able to redirect the arm him up. Hence, Bong Sau must move forward, before the punch leaves completely. If in a situation where instead of going to Bong Sau, I decided to attack with another punch, Antonio's elbow, if correctly aligned, would stop my attack and stop me. In the same way, I use my elbow before it goes straight ahead and keeping in control, I prevent another opening from creating itself, covering the space before it even happens. This notion of covering (Kum Wai) is one of the main mottos in the practice of Chi Sau.





Ao retornar a posição inicial, devemos ter bastante cuidado em manter o contato com o oponente e ''controlar'' o movimento gradualmente para não sermos atingidos durante o retorno das mãos para Tan Sau / Fook Sau, ou numa posição ''hibrida''. A ideia não é bater o tempo todo, mas não ser atingido. Cobrir espaços através do critério de posicionamento para não dar a brecha necessária para o oponente prosseguir com seu ataque ao passo em que estamos melhor posicionados para continuar avançando. Chi Sau ajuda a melhorar seu próprio timing, sentimento de contato - o feeling - e melhora os reflexos para agir no tempo certo, assertivamente - em termos de posicionamento -  e controle. Além de outros atributos, obviamente.

Além do mais, existem maneiras de prosseguir com o exercício para os dois lados sem perder totalmente o contato com o parceiro de treino, trabalhando a mudança de portas e variações de coberturas á partir do Fook Sau e com variações de ataques após uma ofensiva partindo do Tan Sau, o que deixaria a matéria por demais extensa. Como esses movimentos apresentados são mais comuns em várias ramificações do estilo, vamos dar ênfase á elas, apenas por conta da fácil identificação.

When returning to the starting position, we must be very careful to maintain contact with the opponent and to "control" the movement gradually so that we are not hit during the return of the hands to Tan Sau / Fook Sau, or in a "hybrid" position . The idea is not to beat all the time, but not be hit. Cover spaces through the positioning criterion to not give the necessary breakthrough for the opponent to proceed with his attack while we are better positioned to continue advancing. Chi Sau helps to improve your own timing, feeling of contact - the feeling - and improves the reflexes to act in the right time, assertively - in terms of positioning - and control. Besides other attributes, obviously. Moreover, there are ways to proceed with the exercise for both sides without losing completely the contact with the training partner, working the change of doors and variations of coverages from the Fook Sau and with variations of attacks after an offensive starting from the Tan Sau, which would leave the matter too extensive. As these movements presented are more common in various branches of the style, we will emphasize them, just because of the easy identification.
 

 
 
 Até a próxima.




      Dido
      Discípulo particular do SiFu Marcos de Abreu
      Brazilian Wing Chun Academy
      Dido
      Private disciple of SiFu Marcos de Abreu
     Brazilian Wing Chun Academy